Gazeta do Litoral


Câmara de PG aprova reajuste de 5,5% para servidores

Apesar da pressão dos sindicalistas, vereadores aprovaram projetos de lei que concedem reajuste aos servidores do Executivo e Legislativo

Leia mais...
 
Câmara de PG aprova ampliação do Programa Bolsa Moradia Social

Vereadores aprovaram mudança na lei para concessão de mais 50 bolsas moradias para famílias de baixa renda

Leia mais...
 
Pesquisa CNT/MDA aponta 55,4% de satisfação com Governo Bolsonaro

Para 55,4%, o governo de Bolsonaro está sendo melhor que o de Temer, enquanto 24,3% consideram que está sendo igual e 8,7% avaliam que está pior

Com 2.002 pessoas ouvidas, a 143ª Pesquisa CNT/MDA aponta que 55,4% dos entrevis-tados disseram que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) está melhor do que a gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB). O estudo, realizado de 21 a 23 de fevereiro, foi divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) na terça-feira, dia 26, e mostra a avaliação dos índices de popularidade do governo e pessoal do atual chefe da Nação.

A avaliação do Governo Bolsonaro é positiva para 38,9% dos entrevistados, contra 19% de avaliação negativa. Para 29%, a avaliação é regular e 13,1% não souberam opinar. A aprovação do desempenho pessoal do presidente atinge 57,5%, contra 28,2% de desaprovação, além de 14,3% que não souberam opinar.

EXPECTATIVA – A expectativa dos entrevistados para os próximos seis meses como relação a emprego, 51,3% disse que acredita que vai melhorar; 17,2%, que vai piorar; e 28,7%, vai ficar igual. Sobre a renda mensal, 33,8%, afirmou que vai aumentar; 9,6%, que vai diminuir; e 51,2%, que vai ficar igual. Quanto aos setores que consideram primordiais, na Saúde 41,7% respondeu que vai melhorar; 19,2%, que vai piorar; e 36%, que vai ficar igual. A Educação 47,2% dos ouvidos acreditam que vai melhorar; 15,6% que vai piorar; e 34,8% que vai ficar igual. E sobre a Segurança pública, 53,3% disseram que vai melhorar; 17,5%, que vai piorar; e 26,3%, que vai ficar igual.

ELEIÇÕES – O levantamento questionou também quantos votaram para presidente em outubro, e 82,7% afirmaram que cumpriram seu dever como eleitores. Destes, 70,4% estão satisfeitos com o voto e 15,9% estão muito satisfeitos; enquanto 7,6% estão arrependidos. Para 55,4%, o governo de Bolsonaro está sendo melhor que o de Temer, enquanto 24,3% consideram que está sendo igual e 8,7% avaliam que está pior. Na comparação entre Dilma Rousseff (PT) e Bolsonaro, 55,9% acham que o governo atual está sendo melhor; enquanto 19,4% avaliam que está pior e 14,5% consideram que está sendo igual.

Ao serem questionados se Bolsonaro reúne as condições para unificar os brasileiros, 40,5% responderam que sim, que a atuação dele vai contribuir para reduzir a separação política entre as pessoas. Já 21,6% afirmam que vai acirrar a separação política e 18,1% avaliam que não vai alterar.

METODOLOGIA - Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

28/02/2019

 
Bolsonaro entrega reforma pessoalmente ao Congresso

Acompanhado de ministros, Bolsonaro se reuniu com Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre e saiu do Congresso sem dar entrevista

Leia mais...
 
João Doria se reúne com líderes sulamericanos no Fórum Mundial

 Doria esteve em reuniões com a participação de líderes da América Latina em Davos

O governador João Doria iniciou na terça-feira, 22, a agenda de encontros no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Os compromissos buscam, principalmente, investimentos externos para São Paulo. Entre as reuniões, destacam-se as que foram realizadas com líderes da América Latina, como os presidentes do Paraguai, Mario Benítez, e da Costa Rica, Carlos Quesada.

Benítez confirmou que participará do Fórum Econômico Mundial para a América Latina, que será realizado ano que vem na Cidade de São Paulo. “São mais de 5.000 participantes e 3,000 são empresários, dirigentes de corporações, banqueiros, comandantes de fundos soberanos e fundos de investimento que vêm em busca de oportunidades e querem conhecer opiniões e posições de chefes de estado, inclusive da América Latina”, disse Doria.

Durante o dia, o governador participou de almoço organizado pelo Itaú Unibanco, que contou com palestra do ministro da Economia, Paulo Guedes. Em seguida, Doria participou do pronunciamento realizado pelo presidente Jair Bolsonaro no Fórum. A agenda do Governo de São Paulo também inclui o seminário New Era in Latin America - com os presidentes do Paraguai, Costa Rica, Colômbia (Iván Duque), Equador (Lenín Moreno) e Peru (Martín Cornejo) - e um jantar com integrantes do banco BTG Pactual.

Doria está em Davos para apresentar a investidores estrangeiros o pacote de desestatização do Estado. O plano de privatizações do Governo de São Paulo é extenso e contempla desde aeroportos até novos trechos de rodovias e estradas férreas estaduais. Principalmente focado em áreas de mobilidade urbana e atração de investidores para expansão e administração de ativos.

PROJETOS - Doria preparou um vídeo para mostrar o potencial de investimento do estado de São Paulo para investidores estrangeiros. Ele busca atrair investidores para 20 aeroportos regionais, novas concessões para expandir estradas estaduais e para tornar o Instituto Butantã o maior produtor mundial de vacinas.

No vídeo promocional em inglês, o Governo destaca as riquezas do Estado como líder global na produção de açúcar, etanol e suco de laranja, as exportações pelo Porto de Santos e “a força de trabalho mais qualificada do Brasil”. Além disso, oferece aos investidores estrangeiros as parcerias para tornar o Instituto Butantã o maior produtor de vacinas do mundo; investir em 20 aereportos regionais; US$ 270 milhões para explorar direitos de transporte e geração de energia nos rios; 260 km de linhas de trem intercidades e metrô; 650 mil m² para criar o Vale do Silício brasileiro (na região do Ceagesp); e novas concessões para expandir a rede estadual de estradas.

Na quarta-feira, dia 23, Doria deu palestra no evento que teria ainda as participações de Bolsonaro e dos ministros Paulo Guedes (Economia), Sergio Moro (Justiça) e Ernesto Fraga Araújo (Relações Exteriores). Também estavam previstas reuniões do governador com diretores de empresas como General Eletric, Novartis, Enel e Bracell. E na quinta-feira, dia 24, terá encontro com executivos da indústria farmacêutica Merck e a de telecomunicações At&T.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Ecovias

ecovias