Trio acusado de matar Ana Beatriz participa de nova reconstituição

Os acusados de matar Ana Beatriz de Souza, de 13 anos, participaram nesta terça-feira, dia 18, de uma nova reconstituição do crime em Praia Grande. Desta vez, a ação é baseada na versão da pugilista, Elizabeth Fernandes, que após ser presa no dia 11 confessou o crime à polícia.

De acordo com a reconstituição, Ana Beatriz assistia televisão no sofá da sala de sua casa quando foi assassinada, no Jardim Anhanguera, em 13 de junho.  Ela estava na sala quando as duas mulheres (a pugilista e a mãe da menina, Ana Luiza Ferreira) a sufocaram com um pano.

Segundo o delegado Luiz Evandro Medeiros, do 1º DP de Praia Grande, o tecido estava com algum líquido entorpecente, que teria sido fornecido pelo padrasto da vítima, Carlos José Bento, o Azeitona.

O chefe dos investigadores do 1º DP, Ricardo Mendes, contou que, primeiro, Elizabeth segurou os pés da vítima, enquanto a mãe tentava sufocá-la. Depois, a amante pegou o pano socou a adolescente, que não resistiu às agressões.

Azeitona afirma que chegou na casa depois que a menina já estava morta. O corpo foi levado para os fundos do imóvel e depois colocado em um carro.

Crime premeditado - À polícia, a pugilista informou que o pai e a mãe abusavam sexualmente da menina desde os 7anos e Ana Beatriz queria denunciá-los à polícia. Além disso, a jovem também planejava contar a polícia sobre ser obrigada a transportar entorpecentes.

O padrasto da vítima alega ter sido coagido a participar do crime. Já a mãe da menina, em seu primeiro depoimento, disse à polícia que a filha foi morta após uma discussão com a amante.

 

 

 

Fonte: A Tribuna On-line
17:10  Terça-feira
Praia Grande, dia 18 de setembro de 2012 

 

 

Ecovias

ecovias