Após um ano, acidente aéreo que vitimou Eduardo Campos e outras seis pessoas segue sem conclusão

081704Em nota, o Cenipa informou que está na fase final de análise dos dados, mas não estabeleceu prazo para a conclusão. Até o momento o órgão descarta a possibilidade de colisão com aves ou outro objeto. Além disso, os gravadores de voz não registraram o último voo da aeronave

Após completar um ano, segue sem esclarecimentos as causas do acidente que vitimou o candidato à presidência pelo Partido Social Brasileiro (PSB), Eduardo Campos. Ocorrido no dia 13 de agosto do ano passado, outras seis pessoas morreram: Pedro Almeida Valadares Neto, Carlos Augusto Ramos Leal Filho; Alexandre Severo Gomes, Silva, Marcelo de Oliveira Lyra e os pilotos Marcos Martins e Geraldo da Cunha.

O órgão responsável pela investigação, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) ainda não concluiu as investigações sobre as causas da queda do avião Cessna 560-XL. Em nota, o Cenipa informou que está na fase final de análise dos dados, mas não estabeleceu prazo para a conclusão.

Até o momento o órgão descarta a possibilidade de colisão com aves ou outro objeto. Além disso, os gravadores de voz não registraram o último voo da aeronave. As investigações indicam que o piloto realizou uma rota diferente do previsto na carta de aproximação para a Base Aérea de Santos, onde o avião deveria ter pousado.

O relatório aponta, ainda, que a aeronave não voava de forma invertida, de cabeça para baixo, e que os motores estavam funcionando no momento da queda. Familiares dos pilotos contestam a versão oficial, com receio de que o relatório final do órgão vai colocá-los “no centro da roda, jogando sobre seus ombros a culpa pelo acidente”, segundo uma carta enviada à Cenipa. Também não foi determinado até o momento, quem é o proprietário do aparelho que vitimou sete pessoas.

ACIDENTE – Por volta das 10h do dia 13 de agosto de 2014, moradores locais relataram a queda de uma aeronave no bairro Boqueirão, em Santos. O avião caiu em uma área residencial, afetando diversas residências e uma academia de ginástica.

Momentos depois era confirmado que tratava-se do voo que trazia o candidato Eduardo Campos para encontro com correligionários durante a campanha presidencial. A aeronave deveria pousar na Base Aérea, mas devido ao mau tempo o piloto precisou arremeter o avião e o aparelho acabou caindo instantes depois.

Praia Grande, 17 de agosto de 2015
Fonte: da Redação
Foto: Divulgação EBC

 

Ecovias

ecovias