Em disputas a nível mundial, atletas da Região se destacam

Representar a sua cidade em grandes eventos é sempre um incentivo a mais para atletas de todo mundo e, para quatro dos seis alunos da academia Kika Dojo, de Mongaguá, o gostinho foi ainda melhor: eles conquistaram três medalhas de ouro e uma de bronze no campeonato Arnold Classic South America, na categoria karatê. Esta é a primeira vez que o evento de Arnold Schwarzenegger, aconteceu em São Paulo entre os dias 21 a 23 de abril.IMG 3312

A academia levou alunos de 10 até 47 anos. Para a professora Kika, dona da academia, a participação foi muito mais do que especial, visto que mais de 50% de seus alunos conquistaram alguma premiação. “Apesar do pouco incentivo nós conquistamos mais esse campeonato, o primeiro internacional de alguns deles. Poder levar o nome da nossa cidade e da nossa academia em eventos desse porte só nos incentiva a continuar. Esses alunos vencedores são hoje o espelho dos meus outros alunos”.

Em categorias diversas, Rafaela Augusta, Patrick Girelli e Wallace Bispo encerraram a competição com a primeira colocação, competindo cada um três vezes durante o evento. Já Francisco José, o representante mais experiente do grupo, de 47 anos, disputou em uma categoria forte e conseguiu o bronze para a academia Kika Dojo. “O karatê não tem restrições e pode ser praticado por qualquer idade e sou a prova viva disso. Quero continuar neste esporte até os últimos dias da minha vida e poder conquistar cada vez mais medalhas”, ressalta José, que é um dos exemplos para o restante do grupo.

Com treinos realizados no mínimo três vezes por semana, Rafaela, Patrick, Wallace e Francisco auxiliam na academia com os demais alunos. Rafaela, por exemplo, é filha da professora e vê no esporte e na mãe um futuro a ser seguido. “Quero conquistar mais medalhas de ouro e ser cada vez melhor no karatê”.  No total, a academia Kika Dojo, fundada em 1996, conta com 97 alunos.

Todos com nível para competir internacionalmente, os atletas buscam patrocínio para competições futuras. Agora com o karatê definido como esporte olímpico, os caratecas buscam se destacar ainda mais, como por exemplo, Patrick Girelli que irá competir representando o Brasil na sul-americana ainda este ano.

 

Carolina Huerte

 

Ecovias

ecovias