Concessão para aeroporto deve ser assinada

A informação é da Prefeitura de Guarujá, município onde será implantado o Aeroporto Civil Metropolitano de Guarujá (ACMG), que funcionará na Base Aérea de Santos.

A concessão para a construção de um aeroporto civil na Baixada Santista deve ser assinada em 30 de junho. A informação é da Prefeitura de Guarujá, município onde será implantado o Aeroporto Civil Metropolitano de Guarujá (ACMG), que funcionará na Base Aérea de Santos.

Desde 14 de fevereiro deste ano, está deferido o recurso interposto pelo Consórcio Guarujá Airport que deu seguimento à Concorrência Pública n° 14/2016, que prevê a concessão para a construção, exploração e manutenção do local.

O dia 30 de junho foi escolhido por ser a data em que se comemora a emancipação político-administrativa do Município. “Estamos trabalhando no sentido de assinar o contrato de concessão neste dia, em comemoração aos 83 anos de emancipação político administrativa, como um presente para a Cidade e seus moradores”, ressaltou o prefeito, Válter Suman (PSB).

O projeto prevê vôos comerciais de pequeno e médio porte, aviação executiva e helicópteros, além da construção do terminal de passageiros, estacionamento para veículos de passageiros e de funcionários, táxis e pátio de aeronaves. A pista existente passará por uma requalificação geral incluindo a ampliação em 300 metros da sua cabeceira.

Durante as obras civis do aeroporto, estima-se a geração de aproximadamente 3.500 postos de trabalho entre mão de obra direta e indireta no auge da implementação. Já na fase de operação, quando o Aeroporto Civil Metropolitano de Guarujá estiver totalmente concluído, o número deve ultrapassar os 6 mil empregos permanentes. Além da geração de empregos, as obras vão contribuir com o aumento da arrecadação de impostos no município. O número ainda incluiu o aumento da movimentação turística que deve ocorrer na cidade. 

Para o prefeito, Guarujá é uma cidade de características únicas e com o aeroporto em funcionamento essas qualidades serão ressaltadas. “Além da capacidade turística devido às praias e toda a beleza natural, contamos também com um grande potencial portuário, ferroviário, industrial e o aeroporto será um importante vetor para o amplo desenvolvimento do município”, destacou.

Após a homologação, terá início uma nova fase, que inclui engenharia e estudo ambiental, para avaliar a preservação e impacto ambiental na área destinada à construção do aeroporto. Esta última etapa deve levar em média seis meses para ser concluída.

 Além disso, estão previstas obras para construção de novos acessos ao local. Quanto ao acesso ao Guarujá, que ainda não conta com uma ligação seca direta entre Santos e Guarujá, a prefeitura informa que não pode se posicionar à respeito, pois se trata de uma obra do Estado, que teria suspendido o projeto de um túnel, por conta da falta de verbas. Além disso, o aeroporto é uma concessão, ou seja, usa recursos privados. Sendo assim, as obras não estão relacionadas.

 

Christiane Disconsi

 

Ecovias

ecovias