Gazeta do Litoral


MEC discuti se o livro Caçadas de Pedrinho continua no Programa Nacional Biblioteca na Escola

O Pai do Sítio do Picapau Amarelo, Monteiro Lobato, é tema de polêmica: uma de suas obras renomadas, o livro Caçadas de Pedrinho (escrito em 1933), traria conteúdo de preconceito racial, aponta alguns representantes da luta contra racismo. O governo não concorda totalmente, e acredita apenas que “algumas passagens devem ser contextualizadas”.

O Ministério de Educação (MEC) e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) participam nesta terça-feira, dia 11, da audiência de conciliação no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para discutir o mandado de segurança de autoria do Instituto de Advocacia Racial (Iara) e do pesquisador de gestão educacional Antônio Gomes da Costa Neto contra o parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) que liberou a adoção do livro no Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE).

A posição do governo é contrária à censura ou suspensão do livro. “Não se trata de vetar, mas indicar que precisa ser lido a partir da crítica”, salienta a coordenadora-geral para Educação de Relações Étnica-Raciais do MEC, Ilma Fátima de Jesus. Segundo ela, o PNBE não deve adotar nenhuma obra que coloque “a pessoa em situação vexatória”.

“É importante que essas obras sejam veiculadas porque fazem parte da história e Monteiro Lobato é uma figura importante. Vejo que têm que ser discutidas criticamente. Algumas passagens que hoje em dia ferem muito mais os ouvidos da sociedade brasileira do que feriam alguns anos atrás. Isso tem que ser contextualizado”, concordou Theodoro.

O advogado do Iara, Humberto Adami, também defende a contextualização e alerta para riscos de preconceitos. “Não se pode permitir que essas expressões racistas de outro momento entrem impunemente e reproduzam ou reinventem o racismo em sala de aula. Depois não adianta fazer campanha contra bullying na escola.”

 

 

 

Fonte: ABr
16:13  Terça-feira
Praia Grande, dia 11 de setembro de 2012 

 

 

 
Depressão e transtornos são responsáveis por 61% dos casos de idosos que buscam atendimento psiquiátrico em São Paulo

A solidão, causada muitas vezes pela morte do cônjuge, de amigos e familiares, além do medo de morrer e das dificuldades financeiras, está levando idosos paulistanos ao psiquiatra.

 

Levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) Psiquiatria, unidade especializada da pasta na Vila Maria, zona norte da capital paulista, aponta que 61% dos idosos atendidos têm quadros de transtorno de ansiedade e depressão, e muitos sofrem com a solidão.

 

O número de idosos atendidos na unidade, somando-se as consultas médicas e as não médicas (realizadas por psicólogos, terapeutas ocupacionais e profissionais de enfermagem), foi de 960 em agosto de 2012 ante os 917 casos registrados no mesmo mês do ano passado. A quantidade é quase oito vezes superior à registrada em agosto de 2010 (124), mês em que a unidade foi inaugurada.

 

“A depressão e os transtornos de ansiedade exercem um impacto negativo na qualidade de vida dos pacientes nessa faixa etária, com consequências diretas na saúde, uma vez que estão associados a um maior número de doenças, como diabetes e hipertensão. Tratar esses problemas é cuidar da saúde”, diz o diretor do AME, Gerardo Araújo.

 

Além do atendimento médico, os idosos em tratamento no AME Psiquiatria também participam de atividades de terapia ocupacional, a exemplo do grupo de acolhimento, grupo de reabilitação cognitiva, grupo de contadores de histórias e atividades manuais, tais como pintura em tela, pintura em objetos, fuxico e artes plásticas.

 

Entretanto, não são apenas os pacientes na terceira idade que recebem atenção durante o tratamento. Como os cuidadores dos idosos estão até quatro vezes mais suscetíveis a desenvolver quadros depressivos do que a população em geral, o AME Psiquiatria também desenvolve trabalho específico para eles, por meio de encontros semanais em grupo para troca de experiências.

 

“O favorecimento das inserções familiar, afetiva e social do idoso que sofre com problemas psiquiátricos constitui em um dos principais objetivos do acompanhamento realizado pelo AME Psiquiatria”, explica o diretor da unidade.

 

 

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde
17:29  Segunda-feira
Praia Grande, dia 10 de setembro de 2012 

 
Ministério da Pesca entrega cinco novas lanchas-patrulha à Marinha

Com a previsão de que já estejam em operação até o final deste mês, a Marinha do Brasil ganhou cinco novas lanchas-patrulha. O termo de entrega das lanchas-patrulha foi assinado nesta segunda-feira, dia 10, pelo ministro da Pesca, Marcelo Crivella, e pelo comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, no Rio de Janeiro.

Segundo a assessoria de imprensa da Marinha, as embarcações serão usadas prioritariamente na fiscalização da atividade pesqueira e no combate à pesca ilegal, em conjunto com o ministério e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Em março, o Ministério da Pesca cedeu à Marinha 11 lanchas-patrulha, que já estão em operação em vários pontos do País.

 

 






Fonte: ABr
Foto: ABr/Tânia Rego
15:25  Segunda-feira
Praia Grande, dia 10 de setembro de 2012 

 

 

 
Praia Grande será a primeira cidade do Estado a ter um Centro de Memória da Educação

O local deve ser inaugurado em janeiro de 2013 juntamente aos lançamentos on line das Galerias dos secretários de educação, diretores e patronos escolares, além da Linha do Tempo da Educação de Praia Grande. O Centro contará com acervo de documentos, laboratório de história oral, área administrativa, espaço para exposições, biblioteca de história e historiografia da educação entre outros aberto à comunidade.

Leia mais...
 
Hospital estadual em Santos promove campanha de teste rápido de hepatite C

O hospital estadual Guilherme Álvaro, de Santos, em parceria com a ONG Grupo Esperança, promove entre a próxima segunda e sexta-feira, dia 10 a 14, testes rápidos para incentivar a prevenção e o diagnóstico precoce da hepatite C.

A campanha acontece das 8h às 17 no ambulatório geral do hospital, um dos primeiros pólos de aplicação do tratamento da doença no Brasil.

O teste rápido de detecção da hepatite C é semelhante ao teste de diabetes. Caso o resultado seja positivo, o paciente receberá orientações e será encaminhado para atendimento médico e para tratamento gratuito pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

“A hepatite C é uma doença silenciosa e traiçoeira, que progride lentamente. Se não for detectada e tratada, pode se tornar crônica e evoluir para cirrose e até câncer de fígado. Porém, quando diagnosticada precocemente, a cura é possível”, diz o diretor técnico do hospital, Ricardo Hayden.

O Guilherme Álvaro fica na rua Oswaldo Cruz, nº 197, no bairro Boqueirão, em Santos.

 

 

 

 

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde
15:31  Quinta-feira
Praia Grande, dia 6 de setembro de 2012

 

 
<< Início < Anterior 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Ecovias

ecovias