Gazeta do Litoral


União Imperial vence o carnaval santista pelo Grupo Especial

Agremiação somou 179,9 pontos e garantiu o bicampeonato ficando à frente da X-9 e Unidos dos Morros

LATERAL Carnaval Santista
Com o enredo Respeitável Público, o Picadeiro é Verde e Rosa? É Sim Senhor, a Escola de Samba União Imperial, que defendia o título de 2018, voltou a brilhar na Passarela do Samba Dráuzio da Cruz, na Zona Noroeste, e foi a vencedora do Grupo Especial do desfile das escolas de samba de 2019. A agremiação do Marapé somou 179,9 pontos para garantir o bicampeonato, ficando à frente da X-9, com 179,5 pontos, e da Unidos dos Morros, com 179,3. No mesmo grupo, com 175,7 pontos, a Sangue Jovem foi rebaixada para o Acesso em 2020.

Já a Escola de Samba Mãos Entrelaçadas foi a vencedora do grupo de acesso, com 177,4 pontos. O resultado dá direito a uma vaga no grupo especial em 2020. A Unidos da Zona Noroeste, que somou 173,7 pontos, foi rebaixada para o grupo 1 no próximo ano. A agremiação foi descontada em 2,5 pontos por exceder o tempo de desfile em cinco minutos.

No Grupo 1, a Imperatriz Alvinegra faturou o troféu, mas não conseguiu a vaga para o acesso por não ter obtido a somatória mínima de pontos para subir. Fez 174 pontos, dois a menos do exigido pelo regulamento.

Outras duas escolas do grupo 1 ficaram abaixo da somatória mínima, de 170 pontos, para a permanência no desfile do próximo ano. Unidos da Baixada, com punição de 55 pontos por número insuficiente de componentes em várias alas e no geral, somou 91,4 pontos. A Dragões do Castelo foi a segunda eliminada da próxima folia, com 169,7 pontos. A apuração foi realizada no Teatro Municipal Braz Cubas (Vila Mathias), e se encerrou às 14h30. O desfile ocorreu na última sexta-feira, dia 22, e sábado, dia 23, reunindo 17 agremiações.

28/02/2019

 
Escola de Ballet Lúcia Millás comemora 50 anos de atividades com exposição

Professoras e colaboradores da escola estão programando uma exposição

Já são cinco décadas dedicadas à dança. Entre tantos pliés e outros passos do balé clássico, a Escola de Ballet Lúcia Millás, de Santos (SP), completa 50 anos de atividades em março colecionando muitas histórias de alunos e professoras. Ao longo desse tempo, a instituição cresceu e passou a contar também com outras modalidades, como o jazz, sapateados americano e irlandês, dança contemporânea e até teatro musical.

Para comemorar a data, uma exposição está sendo programada pelas professoras e colaboradores da escola. A ideia é resgatar um pouco da trajetória da instituição por onde já passaram mais de 3 mil alunos, considerando o número de matrículas por ano.

Atualmente, a escola está instalada na rua Minas Gerais, no Boqueirão. Fotos dessas épocas, peças de figurinos e de cenários farão parte da exposição, que deve acontecer no segundo semestre deste ano e emocionar muita gente que já dançou na escola.

“Alguns se profissionalizaram e hoje são grandes bailarinos no Exterior. Outros foram para o teatro ou música. Mas cada um teve sua importância, deixou sua marca, e ajudou a construir a história da nossa escola”, conta a diretora Lúcia Millás.

Ela lembra que não imaginava os rumos que sua vida tomaria quando começou a dançar e que acabaria ajudando de forma tão positiva na vida de bailarinas e bailarinos. “Montar uma escola não estava nos meus planos. Mas as coisas foram se conduzindo para que isso acontecesse e fui percebendo a importância disso tudo: despertar nas crianças e nos jovens o amor pela dança e tudo que esse sentimento envolve, como disciplina, esforço, autoconhecimento”.

A Escola de Ballet Lúcia Millás é filiada à Royal Academy of Dance (RAD) de Londres, a mais influente organização de exames de balé clássico no mundo, presente em 80 países, tendo entre suas características a realização de rigorosos exames para a passagem de graduação.

Algumas professoras do corpo docente atual da escola santista, formadas em licenciatura em dança clássica pela RAD, são crias da casa e começaram suas carreiras como alunas de Lúcia. O horário de funcionamento da secretaria é de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e o telefone é 3222-6133.

18/02/2019

Foto: Divulgação/Cida Ladaga

 
Primavera dos Museus trará várias atividades especiais para o Museu do Café

Em sua 12ª edição, o tema de 2018 será “Celebrando a Educação em Museus”, tópico que pauta as atividades desenvolvidas pelo Museu do Café

Setembro é, tradicionalmente, o mês da Primavera dos Museus, iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) que visa estimular discussões e novas programações culturais nas instituições museológicas de todo o País. Em sua 12ª edição, o tema deste ano será Celebrando a Educação em Museus, tópico que pauta as atividades desenvolvidas pelo Museu do Café, entre os dias 17 e 23 de setembro.

No período, o assunto será abordado com uma programação especial, voltada a públicos variados. Na quarta, dia 19, às 15h, a Biblioteca Humana promove um encontro de gerações entre os convidados, que contarão suas histórias de vida, e as crianças, que poderão acompanhar as vivências.

Na quinta, dia 20, às 16h, o evento irá explorar, mais diretamente, a temática estabelecida, visando nortear gestores, educadores e interessados, em uma mesa redonda em torno da questão Educação Museal e a Educação Integral em Diálogo.

Outro destaque é a oficina de contação de histórias Contar e recontar a nossa história – reflexão sobre a narração a partir do fato, ministrada pelo profissional de artes cênicas Alexandre Camilo. O workshop ensinará técnicas de narração usando dinâmicas de grupos e exercícios interativos no sábado, dia 22, às 15h.

As inscrições para todas as atividades podem ser feitas no e-mail Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, necessita do Javascript ativado para ser visualizado . A participação é gratuita, porém as vagas são limitadas.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, nº 95, no Centro Histórico de Santos. Outras informações no site www.museudocafe.org.br.

 
Primavera dos Museus trará várias atividades especiais para o Museu do Café

Em sua 12ª edição, o tema de 2018 será “Celebrando a Educação em Museus”, tópico que pauta as atividades desenvolvidas pelo Museu do Café

Setembro é, tradicionalmente, o mês da Primavera dos Museus, iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) que visa estimular discussões e novas programações culturais nas instituições museológicas de todo o País. Em sua 12ª edição, o tema deste ano será Celebrando a Educação em Museus, tópico que pauta as atividades desenvolvidas pelo Museu do Café, entre os dias 17 e 23 de setembro.

No período, o assunto será abordado com uma programação especial, voltada a públicos variados. Na quarta, dia 19, às 15h, a Biblioteca Humana promove um encontro de gerações entre os convidados, que contarão suas histórias de vida, e as crianças, que poderão acompanhar as vivências.

Na quinta, dia 20, às 16h, o evento irá explorar, mais diretamente, a temática estabelecida, visando nortear gestores, educadores e interessados, em uma mesa redonda em torno da questão Educação Museal e a Educação Integral em Diálogo.

Outro destaque é a oficina de contação de histórias Contar e recontar a nossa história – reflexão sobre a narração a partir do fato, ministrada pelo profissional de artes cênicas Alexandre Camilo. O workshop ensinará técnicas de narração usando dinâmicas de grupos e exercícios interativos no sábado, dia 22, às 15h.

As inscrições para todas as atividades podem ser feitas no e-mail Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, necessita do Javascript ativado para ser visualizado . A participação é gratuita, porém as vagas são limitadas.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, nº 95, no Centro Histórico de Santos. Outras informações no site www.museudocafe.org.br.

 
Mostra Barroco Ardente e Sincrético reúne obras dos séculos 17 ao 19

A seleção das quase 170 obras fica no Sesc Santos até o dia 1° de julho

As obras do mestre Aleijadinho e as igrejas mineiras são as referências mais óbvias dos reflexos da arte barroca no Brasil. A exposição Barroco Ardente e Sincrético – Luso-Afro-Brasileiro, está em cartaz no Sesc Santos e revela que sua influência vai muito além do universo religioso.

A seleção das quase 170 obras fica no Sesc Santos até o dia 1° de julho e representa um terço da que pode ser vista no Museu Afro Brasil. Ainda assim uma mostra de extrema relevância histórico-cultural.

O curador da exposição, Emauel Araújo, do Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, que recebeu a mostra de agosto a início de março, considera essa exposição extraordinária. “Fazemos um recorte de um movimento artístico extraordinário que vem desde o século 17, na Europa, e mostramos que o Brasil é um país barroco, cujo espírito se manifesta no carnaval, nos bordados do bumba-meu-boi, nos estandartes do maracatu e muito mais”, comenta Araújo.

O visitante adentra uma espécie de labirinto, com iluminação cenográfica, que ressalta os efeitos de luz e sombra tão desejados pelos mestres artífices em suas esculturas de santos, anjos e querubins em terracota e madeira, confeccionadas entre séculos 17 e 19. Uma trilha sonora especialmente pensada para a mostra mistura o clima sacro ao profano.

As obras pertencem a coleções particulares e públicas, de diferentes museus de arte sacra do País, e são de autoria dos mais expressivos artistas do barroco no Brasil.

Vale destacar que o santista Jesuíno Francisco de Paula Gusmão está com alguns dos seus trabalhos expostos, dentre eles, dois óleos sobre madeira, representando Jesus Cristo. Também fazem parte da mostra, obras sacras de Portugal e criações de autores anônimos dentro da vertente sincrética do barroco.

A mostra fica em cartaz na Área de Convivência do Sesc Santos — rua Conselheiro Ribas, n° 136 — de terça a sexta, das 10h às 21h30, e sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30. Mais informações: 3278-9800.

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Ecovias

ecovias