Sem ordem do dia, sessão da Câmara de PG tem somente votação de requerimentos

Sessão desta semana teve somente expediente dos vereadores, já que nenhum projeto foi pautada para votação na Ordem do Dia

A sessão da Câmara de Praia Grande desta terça-feira, dia 12, não contou com nenhum projeto na Ordem do Dia. No expediente dos vereadores, foram apresentados requerimentos sobre variados como meio ambiente, habitação, obras públicas e saúde.

O vereador Dimas Antônio Gonçalves (PEN) apresentou requerimento questionando o Executivo e a Secretaria de Saúde Pública (Sesap) sobre a retomada das cirurgias eletivas no Hospital Municipal Irmã Dulce, que foram suspensas em fevereiro devido à falta de funcionamento dos aparelhos de ar condicionado no centro cirúrgico. Entre as questões, o parlamentar perguntou se já foi normalizado o atendimento; se não, qual a previsão de retomada do serviço; quantas pessoas aguardam por cirurgias eletivas e quantos procedimentos do tipo são realizados mensalmente?

Ex-secretário de Meio Ambiente, o vereador Eduardo Rodrigues Xavier (MDB) apresentou requerimento sugerindo ao prefeito Alberto Mourão (PSDB) à criação de um projeto para incentivar a arrecadação de lacres de latinha de metal em escolas e repartições públicas municipais, para posterior troca por cadeiras de rodas. “O volume de lacres para trocar por uma cadeira é muito grande e muitos analisam que é possível um projeto diferente para um número maior de cadeiras de rodas, mas a importância desse projeto é socioeducativa voltada para crianças e jovens por meio da arrecadação de lacres para troca na Apae-PG ou Hospital do Câncer de Barretos. São necessários 80 quilos de lacres para trocar por uma cadeira de rodas, mas é uma forma de conscientizar as crianças e adolescentes sobre a importância da reciclagem”, enfatizou.

Preocupado com o atendimento da demanda em serviços públicos após a entrega de 400 unidades habitacionais no bairro Melvi, o vereador Hugulino Alves Ribeiro (MDB) apresentou requerimento ao Executivo com as seguintes questões: Qual o impacto na área de educação infantil e ensino fundamental? Qual o impacto no atendimento da Saúde, mais especificamente nas Usafas? Existe a possibilidade de permuta entre os sorteados das unidades habitacionais antes da assinatura do contrato? Quantos pacientes passarão a ser atendidos na Usafa Melvi?

ALAGAMENTOS – Depois de receber diversas reclamações sobre alagamentos no bairro Quietude, mas especificamente na rua Nicolau Paal, no Condomínio Rubi, o vereador Isaias Moises dos Santos, o Isaias Cabeleireiro (PTB), perguntou ao Executivo se existe estudo para impedir o problema no local. Ao discutir o requerimento, o vereador Marcelino Santos Gomes (MDB) comentou que já fez alguns trabalhos referente à essa questão, mas concluiu que o problema é que os moradores jogam lixo na calçada, bem em cima de duas bocas de lobo, e sugeriu um trabalho de conscientização dos moradores do condomínio, já que o poder público limpa toda semana. “É uma questão de educação, porque orientação não falta, tem Ecoponto, tem o Rapa Treco, não tem adiantado muito. Os moradores precisam ter um pouco de consciência e usar os serviços públicos oferecidos”, reforçou Isaias Cabeleireiro.

 
Pesquisa CNT/MDA aponta 55,4% de satisfação com Governo Bolsonaro

Para 55,4%, o governo de Bolsonaro está sendo melhor que o de Temer, enquanto 24,3% consideram que está sendo igual e 8,7% avaliam que está pior

Com 2.002 pessoas ouvidas, a 143ª Pesquisa CNT/MDA aponta que 55,4% dos entrevis-tados disseram que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) está melhor do que a gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB). O estudo, realizado de 21 a 23 de fevereiro, foi divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) na terça-feira, dia 26, e mostra a avaliação dos índices de popularidade do governo e pessoal do atual chefe da Nação.

A avaliação do Governo Bolsonaro é positiva para 38,9% dos entrevistados, contra 19% de avaliação negativa. Para 29%, a avaliação é regular e 13,1% não souberam opinar. A aprovação do desempenho pessoal do presidente atinge 57,5%, contra 28,2% de desaprovação, além de 14,3% que não souberam opinar.

EXPECTATIVA – A expectativa dos entrevistados para os próximos seis meses como relação a emprego, 51,3% disse que acredita que vai melhorar; 17,2%, que vai piorar; e 28,7%, vai ficar igual. Sobre a renda mensal, 33,8%, afirmou que vai aumentar; 9,6%, que vai diminuir; e 51,2%, que vai ficar igual. Quanto aos setores que consideram primordiais, na Saúde 41,7% respondeu que vai melhorar; 19,2%, que vai piorar; e 36%, que vai ficar igual. A Educação 47,2% dos ouvidos acreditam que vai melhorar; 15,6% que vai piorar; e 34,8% que vai ficar igual. E sobre a Segurança pública, 53,3% disseram que vai melhorar; 17,5%, que vai piorar; e 26,3%, que vai ficar igual.

ELEIÇÕES – O levantamento questionou também quantos votaram para presidente em outubro, e 82,7% afirmaram que cumpriram seu dever como eleitores. Destes, 70,4% estão satisfeitos com o voto e 15,9% estão muito satisfeitos; enquanto 7,6% estão arrependidos. Para 55,4%, o governo de Bolsonaro está sendo melhor que o de Temer, enquanto 24,3% consideram que está sendo igual e 8,7% avaliam que está pior. Na comparação entre Dilma Rousseff (PT) e Bolsonaro, 55,9% acham que o governo atual está sendo melhor; enquanto 19,4% avaliam que está pior e 14,5% consideram que está sendo igual.

Ao serem questionados se Bolsonaro reúne as condições para unificar os brasileiros, 40,5% responderam que sim, que a atuação dele vai contribuir para reduzir a separação política entre as pessoas. Já 21,6% afirmam que vai acirrar a separação política e 18,1% avaliam que não vai alterar.

METODOLOGIA - Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

28/02/2019

 
Bolsonaro entrega reforma pessoalmente ao Congresso

Acompanhado de ministros, Bolsonaro se reuniu com Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre e saiu do Congresso sem dar entrevista

Leia mais...
 
Câmara de Praia Grande reúne gerações em comemoração aos 50 anos

Galeria dos Legisladores tem o objetivo de resgatar a história dos vereadores que fizeram parte da Câmara

Vereadores de todas as 12 legislaturas da Câmara de Praia Grande protagonizaram um encontro de épocas na solenidade em comemoração aos 50 anos da Câmara de Praia Grande, na terça-feira, dia 12. Na ocasião, o presidente da Casa, vereador Ednaldo dos Santos Passos, o Reco (SD) inaugurou a Galeria dos Legisladores, composta por quadros com as fotos de todos os parlamentares que atuaram neste período.

“Sempre que passava pela Galeria dos Presidentes sentia uma energia diferente, dá um ânimo pensar que eu estou continuando o trabalho que aqueles homens fizeram ao longo desses anos. Mas sentia que faltava alguma coisa porque a Câmara também é composta por mais vereadores além dos presidentes, então conversei com meus colegas e tivemos a ideia desta galeria em homenagem a todos que fizeram a história do Legislativo de Praia Grande”, explicou Reco.

Vereador na quarta legislatura, de 1983 a 1988, o prefeito Alberto Mourão (PSDB) ressaltou a importância das Câmaras Municipais quanto à representatividade dentro da sociedade. “O Legislativo, principalmente o municipal, é o poder que mais representa os vários segmentos da sociedade. Passei pelo legislativo e sei que é fundamental fazer uma sinergia entre os poderes. O que aconteceu aqui nos últimos anos, desde 1992, foi exatamente isso, uma pacificação nesta relação que propiciou ao Executivo tirar do papel as ações e obras que resultaram na transformação da Cidade. O Brasil passa por este problema. Nós não vamos construir nada com os dois extremos brigando. O melhor é quando os poderes conseguem viabilizar os anseios da sociedade”.

O deputado estadual Cássio Navarro (PSDB) também esteve na solenidade. Ele foi vereador em Praia Grande por dois mandatos, entre 2001 e 2008, presidindo o Legislativo no biênio 2005/2006. “O Executivo é um só, uma única pessoa, um único partido, mas no parlamento não, é maior a representação dos vereadores. É dentro da Câmara que são pautadas as grandes discussões e tomadas às decisões que podem melhorar a Cidade.”

O encontro de gerações foi um dos destaques da solenidade de 50 anos. O professor aposentado José Carlos Gatto foi vereador na segunda legislatura da Câmara, entre 1973 e 1976, e recordou como era diferente no passado. “Era época do regi-me militar. Cidades com menos de 200 mil habitantes vereador não tinha direito a nada, não tinha subsídio, não tinha assessores, não tinha gabinete. Cada um trabalhava em sua profissão e a gente encontrava as pessoas na rua, elas falavam sobre suas necessidades e nosso compromisso era vir na sessão às quartas para tentar resolver”, relembrou.

EXEMPLO – Segunda mulher a ocupar uma cadeira no Legislativo, Isaura Campos Garcia foi vereadora de 1977 a 1988 (na época os mandatos eram de seis anos). “Eu era a única mulher na Câmara, mas era tranquilo, tinha bons companheiros de legislatura. Era bem diferente de hoje, porque atualmente tem a internet, antes era tudo no papel e na caneta. A evolução da Cidade é espantosa. O Mourão fez de Praia Grande um colar de pérolas. Hoje acho que é mais fácil, tem uma estrutura melhor, a tecnologia ajuda muito”, avaliou Isaura.

HOMENAGEM – Na solenidade ocorreu a entrega do título de Cidadão Praia-grandense a Manoel Roberto do Carmo, funcionário com maior tempo de serviços prestados no Legislativo. A homenagem foi a pedido da vereadora Janaína Ballaris (PT) e emocionou quem estava presente.

 
João Doria se reúne com líderes sulamericanos no Fórum Mundial

 Doria esteve em reuniões com a participação de líderes da América Latina em Davos

O governador João Doria iniciou na terça-feira, 22, a agenda de encontros no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Os compromissos buscam, principalmente, investimentos externos para São Paulo. Entre as reuniões, destacam-se as que foram realizadas com líderes da América Latina, como os presidentes do Paraguai, Mario Benítez, e da Costa Rica, Carlos Quesada.

Benítez confirmou que participará do Fórum Econômico Mundial para a América Latina, que será realizado ano que vem na Cidade de São Paulo. “São mais de 5.000 participantes e 3,000 são empresários, dirigentes de corporações, banqueiros, comandantes de fundos soberanos e fundos de investimento que vêm em busca de oportunidades e querem conhecer opiniões e posições de chefes de estado, inclusive da América Latina”, disse Doria.

Durante o dia, o governador participou de almoço organizado pelo Itaú Unibanco, que contou com palestra do ministro da Economia, Paulo Guedes. Em seguida, Doria participou do pronunciamento realizado pelo presidente Jair Bolsonaro no Fórum. A agenda do Governo de São Paulo também inclui o seminário New Era in Latin America - com os presidentes do Paraguai, Costa Rica, Colômbia (Iván Duque), Equador (Lenín Moreno) e Peru (Martín Cornejo) - e um jantar com integrantes do banco BTG Pactual.

Doria está em Davos para apresentar a investidores estrangeiros o pacote de desestatização do Estado. O plano de privatizações do Governo de São Paulo é extenso e contempla desde aeroportos até novos trechos de rodovias e estradas férreas estaduais. Principalmente focado em áreas de mobilidade urbana e atração de investidores para expansão e administração de ativos.

PROJETOS - Doria preparou um vídeo para mostrar o potencial de investimento do estado de São Paulo para investidores estrangeiros. Ele busca atrair investidores para 20 aeroportos regionais, novas concessões para expandir estradas estaduais e para tornar o Instituto Butantã o maior produtor mundial de vacinas.

No vídeo promocional em inglês, o Governo destaca as riquezas do Estado como líder global na produção de açúcar, etanol e suco de laranja, as exportações pelo Porto de Santos e “a força de trabalho mais qualificada do Brasil”. Além disso, oferece aos investidores estrangeiros as parcerias para tornar o Instituto Butantã o maior produtor de vacinas do mundo; investir em 20 aereportos regionais; US$ 270 milhões para explorar direitos de transporte e geração de energia nos rios; 260 km de linhas de trem intercidades e metrô; 650 mil m² para criar o Vale do Silício brasileiro (na região do Ceagesp); e novas concessões para expandir a rede estadual de estradas.

Na quarta-feira, dia 23, Doria deu palestra no evento que teria ainda as participações de Bolsonaro e dos ministros Paulo Guedes (Economia), Sergio Moro (Justiça) e Ernesto Fraga Araújo (Relações Exteriores). Também estavam previstas reuniões do governador com diretores de empresas como General Eletric, Novartis, Enel e Bracell. E na quinta-feira, dia 24, terá encontro com executivos da indústria farmacêutica Merck e a de telecomunicações At&T.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Ecovias

ecovias