Líderes de torcidas auxiliam no debate de propositura na Alesp

Para debater o Projeto de Lei nº 779/17, apresentado pelo deputado Celso Nascimento (PSC), líderes das principais torcidas organizadas do Estado de São Paulo compareceram na última terça-feira, dia 31, na Assembleia Legislativa. A propositura tem o objetivo de instituir a identificação dos torcedores por meio do sistema de biometria nos estádios com capacidade superior a 10 mil lugares. Uma audiência pública já está marcada para o próximo  dia 13.LAT Alesp

Os líderes das torcidas organizadas estão apoiando a medida como forma de conter a violência nos estádios. Uma das reivindicações apresentadas por eles diz respeito à volta dos mastros nas partidas de futebol, que estão proibidos desde 1995. O presidente da Associação Nacional de Torcidas Organizadas (Anatorg), André Azevedo, ressaltou que a cultura nos estádios já está mudando. “Elas não entoam mais cantos que fazem reverência a atos de violência, essa era uma questão cultural que já não existe mais”, destacou.

Nascimento, autor da propositura, ressaltou que é imperativo reverter a imagem negativa das torcidas, que, na grande maioria das vezes, são responsabilizadas por indivíduos que, isoladamente, cometem infrações. “Todas as torcidas têm um trabalho social junto às entidades e associações, além disso, seus líderes são pacificadores e querem ver festa nos estádios”, reforçou.

Durante o encontro, foram definidos os nomes que serão convidados para a audiência pública, bem como os principais pontos que deverão ser levados em consideração. Além de todos os líderes presentes na reunião, está confirmada a presença do promotor público Paulo Castilho.

Foram convidados também representantes da Federação Paulista de Futebol (FPF), dirigentes de times, jornalistas esportivos e formadores de opinião.

 

Carolina Huerte

 

Ecovias

ecovias