Equipe de Ginástica Artística volta para casa com 32 medalhas em torneio internacional


Esta foi a primeira vez que os atletas de PG participaram de uma disputa fora do Brasil

Equilíbrio, treino e calma foram essenciais para que o time masculino de ginástica artística brilhasse e atraísse os olhares da plateia durante o Torneio de Rhode Island Invitational da modalidade, realizado na cidade de East Greenwich, nos Estados Unidos, no início do mês.

Representando Praia Grande, os garotos conquistaram 32 medalhas, destas 15 foram ouro, sete pratas e dez bronzes. Para um dos técnicos do time, Caio Américo Costa, os resultados foram excelentes. “Quando saímos daqui não imaginávamos voltar com tantas medalhas. O resultado foi bem expressivo, porém, a competição não pode ser considerada 100%, pois houveram alguns erros que no calor do momento acontecem, diferente do que ocorreu nos Jogos Abertos do Interior que foi perfeito”, comentou.

Atuando como técnico há quatro anos, o profissional disse também que todo o resultado obtido foi um trabalho realizado gradualmente, lidando ao mesmo tempo com a ansiedade dos atletas. “É muito comum estarem nervosos, ainda mais com a primeira competição internacional, mas as séries já estavam bem fixadas e não houve tantos desafios. Todo esse trabalho leva tempo, principalmente no esporte. A equipe foi se desenvolvendo e é preciso paciência. Este ano os resultados começaram e acredito que 2018 será ainda melhor se continuarmos com essa mesma dedicação, empenho e foco.”

Quanto as metas para o próximo ano, Costa acredita que mais títulos virão. “É um orgulho ver isso e é preciso treino e dedicação para continuar. O resultado é só uma consequência. Temos capacidade para vencer os Abertos, os Regionais, e representar cada vez mais Praia Grande”.  

Cinco atletas da Cidade subiram no pódio durante o torneio internacional, regido pela AHGPA (Aim High Gymnastics Academy), entre eles os atletas Cássio Eduardo Menezes do Nascimento, 11 anos, que ganhou as provas de individual geral — soma dos pontos do ginasta em cada um dos aparelhos — Vitor Silva Mendes Vieira, 11 anos, obteve ouro no solo, cavalo, argola e barras paralelas, prata no individual geral e terceiro colocado no salto; William Domingos dos Santos Filho, 12 anos, com um ouro; Ytallo Machado Lória, 16 anos, campeão no cavalo, vice-campeão no individual geral, solo, argola e barras paralelas e terceiro colocado no salto e na barra fixa; e Gustavo Henrique Ramos Rezende de Moraes, 14 anos, que ganhou três medalhas: um ouro no individual geral, argola, salto e barra; uma prata no cavalo e bronze no solo e barras paralelas.

Para a mãe de Gustavo, Luciana Ramos Rezende, é um orgulho ver o atleta conquistando seu espaço mesmo com dificuldades para a viagem. “A oportunidade surgiu bem rápido e foi bem difícil, mas batalhamos, fizemos rifas e conseguimos proporcionar isso pra ele. Foi maravilhoso e agregou muito na experiência dele”, comentou a mãe, orgulhosa.

Larissa França

 

Ecovias

ecovias