Brasil fecha 12.292 vagas em novembro

Segundo Ministério do Trabalho, de janeiro a novembro foram gerados 299.635 empregos com carteira assinada

Após sete meses consecutivos com criação de postos de trabalho, o Brasil fechou 12.929 vagas em novembro, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho na quarta-feira, dia 27.

Esse número representa a diferença entre as contratações, que somaram 1.111.798, e as demissões no mês passado, que totalizaram 1.124.090. Esse foi o primeiro mês em que entraram em vigor as novas regras trabalhistas, que, entre as mudanças, criou a possibilidade de contratos de trabalho intermitentes e com jornada parcial.

Contrato intermitente é a prestação de serviços, com subordinação, que não é contínua, ocorrendo com alternância de períodos de prestação de ser-viços e de inatividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador. Já a jornada parcial, como o próprio nome já deixa claro, é a atividade cuja duração não exceda as 24 horas de trabalho semanal, podendo ser realizada em qualquer período do dia.

De acordo com o Ministério, no mês passado foram contratados 3.067 trabalhadores via contrato intermitente; e 231 trabalhadores via contrato parcial.

CICLO - Com o resultado de novembro, foi interrompida uma série de sete meses seguidos em que as contratações superaram as demissões. O resultado foi o pior desde março de 2017 - quando foram fechadas 57.625 vagas. Apesar dessas dispensas, houve melhora frente a novembro de 2016, quando houve 116.747 demissões, e de 2015, quando 130.629 pessoas perderam o emprego. “Isso não significa interrupção do processo de retomada do crescimento do País. A recuperação da economia vem ocorrendo de forma gradual e consistente”, afirmou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

No acumulado de janeiro a novembro deste ano, ainda de acordo com o governo, foram gerados 299.635 empregos com carteira assinada. Os números de criação de empregos formais do acumulado de 2017, e de igual período dos últimos anos, foram ajustados para incorporar as informações enviadas pelas empresas fora do prazo nos meses de janeiro a outubro.

Os dados de novembro ainda são considerados sem ajuste. Nos últimos doze meses, porém, as demissões superam as contratações em 178.528 vagas com carteira assinada. Ao fim de novembro, o Brasil tinha 38,62 milhões de pessoas empregadas com carteira assinada. No fim do mesmo mês do ano passado, o número era maior: 38,79 milhões.

ILUSÃO – A grande questão na nova modalidade de contratação de forma intermitente é a empresa pode formalizar vínculos com os trabalhadores e convocá-los sempre que for preciso, porém, o profissional pode estar ligado a mais de uma empresa, o que pode inflar os índices, pois o governo vai considerar que foram criadas mais vagas formais.

 

 

Ecovias

ecovias