Mais de 10 mil estrangeiros se matricularam na rede estadual

Número cresceu 15% em relação a 2016 e estudantes bolivianos são maioria

Estudantes brasileiros e os 10.298 estrangeiros matriculados nas escolas da rede paulista compartilham cultura e conhecimento todos os dias. Os dados de novembro do Cadastro do Aluno da Secretaria Estadual da Educação mostra que o número é 15% maior do que o registrado no ano passado.

Dentre os alunos de várias nacionalidades espalhados pelas 91 Diretorias de Ensino do Estado, estão mais de 4.000 bolivianos, 1.200 japoneses, cerca de 550 angolanos e aproximadamente 540 haitianos. Para que as dificuldades da língua e dos costumes seja mminimizadas, crianças e jovens são incentivados a participar de eventos culturais e pedagógicos. Já os inscritos na Educação de Jovens e Adultos (EJA) recebem, além da alfabetização em português, ferramentas para a inserção no mercado de trabalho.

Uma das iniciativas está na cidade de Sorocaba. Os haitianos residentes no bairro do Éden e matriculados na unidade escolar da região, além da grade curricular regular, em 2017, receberam 40 horas de aulas de elétrica e informática. 

Segundo a vice-diretora da E.E. Bairro do Éden, Tania Cristina Alves, a escola ainda conta com o apoio de outras instituições para a manutenção de cursos aos imigrantes. “Os alunos também foram instruídos sobre as leis do País, por meio de uma parceria com a subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Sorocaba”.

CAPACITAÇÃO – Para que os estrangeiros recebam o suporte educacional adequado, a Secretaria oferece capacitação constante aos docentes e publicou documento orientan-do  sobre o acolhimento dos estudantes da rede estadual.

Além disso, as Diretorias Regionais de Ensino também oferecem suporte técnico e pedagógico às unidades escolares, cursos, seminários, palestras, entre outras modalidades de formação continuada, por meio de seus Núcleos Pedagógicos. As atividades são voltadas à formação dos coordenadores e professores.

 

Ecovias

ecovias