Atleta de Mongaguá garante ouro em brasileiro de luta olímpica no Rio de Janeiro

David Barbosa alcançou o lugar mais alto do pódio no estilo Greco Romano e com isso conquistou vaga para o pan-americano no Peru em maio

Mineiro no documento e mongaguaense de coração, David Pereira Barbosa, de 21 anos, trouxe para casa uma medalha de ouro após encher a Cidade onde mora de orgulho, representando não só o Município, como toda Região, durante o Campeonato Brasileiro de Wrestling (Luta Olímpica) que ocorreu no fim de semana, dias 16 e 17, no Rio de Janeiro.

Com a vitória no estilo greco-romano, o jovem do bairro Agenor de Campos garantiu vaga para disputar o pan-americano da modalidade, que ocorre em maio, em Lima, no Peru.

De acordo com o lutador, o resultado foi excelente. “Foi uma boa competição, fiz três lutas duras. A primeira foi um pouco tranquila, mas a semi final e a final foram intensas, onde fui até os dois últimos rounds. Na semi ganhei por superioridade técnica com placar de 8x0, e na final também por 6x0”, explicou.

Este já não é o primeiro Brasileiro que David Barbosa participa. O competidor atualmente é um dos três melhores do Brasil e obteve o título de todos os nacionais desde 2013, com exceção do ano passado. “Meu adversário desta final era o mesmo do ano passado e que me tirou na primeira luta, me deixando sem ao menos ter a chance de brigar por uma medalha.”

Atualmente é o campeão paulista, vitória que conquistou no início deste mês em São José dos Campos. Além disso, o lutador já foi sete vezes campeão paulista, ganhador do paulista escolar em 2013, conquistou o estadual júnior de 2013 a 2015 e vencedor do júnior e sênior estadual em 2016.

Entre os treinos e disputas, o jovem está no terceiro ano da graduação de Educação Física e também pratica e compete no jiu-jitsu. “Eu treino a parte física pela manhã, na academia Nitro System, e na parte da tarde faço a parte técnica, mesclando um dia jiu-jitsu e outro wrestling com o mestre Adriano Magnani, no CT Pride, em Mongaguá, equipe g13bjj”.

O atleta contou que deu início a sua carreira esportiva nas artes marciais com o judô aos 13 anos, época em que seu professor, André Franz Hadzic lhe apresentou o wrestling e de lá para cá não parou mais. “O esporte nasceu enraizado dentro de mim, sempre pratiquei esporte competitivo desde os meus 6 anos no futebol e logo mais fui com um amigo meu assistir um treino de judô e com isso passei a treinar e quando percebi o quanto gostava.”

Acostumado, nos dias de competição já sabe lidar com o nervosismo. “Hoje em dia eu não sinto tanto, já que eu venho competindo em alto nível há um bom tempo, então fico tranquilo. Tem aquele friozinho na barriga como em toda competição, mas assim que piso no tapete ela desaparece.”

Hoje seu maior sonho é representar o País em uma Olimpíada.“Está um pouco distante de acontecer porque é difícil de ser alcançado, mas que pode sim com muito trabalho e perseverança ser alcançado”, revelou.

O atleta que mora com o pai e irmão novo dos três que possuí, acredita que o apoio familiar sempre foi muito importante. Mesmo a atividade não sendo tão conhecida no Brasil crê que está melhorando. “Está bem mais conhecida do que há alguns anos atrás. Tivemos bastante divulgação por conta do MMA, onde os atletas vem treinando a parte de queda utilizando o wrestling. Então a modalidade deu um grande salto no País e no mundo, mas ainda tem muito que crescer. Estamos brigando dia a dia para a massificação da modalidade dentro da nossa região e Estado”, opinou.

OUTRA VITÓRIA – A Luta Olímpica é dividida em dois estilos: greco-romana e a livre. A luta greco-romana tem origem na Grécia Antiga e faziam parte dos esportes olímpicos praticados no século VII a.C. Já a livre é bem mais recente. Ela surgiu, na segunda metade do século XIX, em terras britânicas e foram os imigrantes desta região que levaram o estilo para os Estados Unidos no final do século XIX.

Ainda durante o Brasileiro, o vencedor do estilo livre também é da região. O santista Felipe Oliveira conquistou o bicampeonato na categoria estilo livre -97kg. A conquista veio após quatro vitórias diante de atletas de três estados. Com o resultado, Felipe manteve sua vaga na seleção brasileira, garantindo assim como David Barbosa a participação no Pan-Americano e também no Sul-Americano que será em dezembro, na Argentina.

Larissa França

 

Ecovias

ecovias