Temer abre Congresso dos Municípios em Santos

Em seu discurso, o presidente da República ressaltou a importância de fortalecer os municípios e citou a liberação de verbas desta semana

Alheio as investigações da Operação Skala, que prendeu amigos seus e investiga envolvimento dele com empresas que atuam no Porto de Santos, o presidente da República Michel Temer (MDB) esteve na Cidade na noite de segunda-feira, dia 2, para a abertura do 62º Congresso Estadual dos Municípios, realizado pela Associação Paulista dos Municípios (APM).

O evento acontece no Mendes Convention Center até sábado, dia 7, com participação de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e diversas autoridades. O tema deste ano é País moderno; cidades inteligentes. Terá debates sobre modernização de municípios e aprimoramento da administração pública. O objetivo é possibilitar que gestores municipais em geral se atualizem quanto à conjuntura nacional e tecnologia. Outra questão que será discutida é o futuro político do País, já que estamos em ano eleitoral. Para isso a Associação pretende trazer os pré-candidatos à Presidência, ao Governo do Estado e ao Senado.

Além de Temer, participaram da abertura os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; da Secretaria de Governo, Carlos Marun; do Planejamento, Dyogo Oliveira; a senadora Marta Suplicy, o deputado estadual Cássio Navarro, deputados federais e estaduais e outras autoridades.

Em seu discurso, Temer se classificou como um municipalista por convicção e por ação. “A autonomia municipal no Brasil é muito anterior à Independência à própria República. Quando assumi, tornamos os municípios inadimplementes em adimplementes. O tema federativo me encanta”, ressaltou o presidente, que completou. “Nós temos no Brasil uma vocação centralizadora extraordinária. A partir de amanhã, R$ 1,4 bilhão já estará nos cofres dos municípios. Mais R$ 600 milhões nas próximas semanas. Eu tenho pouco tempo para revisar as questões federativas, mas seja eu ou quem for, quando os municípios se fortalecerem, o Estado se tornará muito maior”.

APM - O presidente da Associação Paulista de Municípios, Carlos Cruz, abriu o evento agradecendo a presença de Temer. “O primeiro e único presidente a vir ao Congresso, em 62 anos, foi o general Ernerto Geisel. O segundo é o Temer, que está aqui e sempre nos acompanhou (enquanto assumia outros cargos públicos). O grande processo eleitoral deste ano será uma catarse, por isso, estamos abrindo espaço para todos os presidenciáveis. Lutamos pelo pacto federativo. Evidente que atrás dele vem a reforma trabalhista, tributarista e tantas outras. Por isso, queremos ouvir todos os presidenciáveis”, argumentou.

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), cobrou do presidente a participação federal nas obras de acesso à Cidade no Sistema Anchieta/Imigrantes. “Temos que discutir o pacto federativo, para fazer valer as mudanças que são necessárias. Nós temos o maior porto da América Latina. Muito da riqueza produzida pelos municípios paulistas é escoado pelo Porto de Santos. Em 2013, fizemos um acordo com os governos federal e estadual. O apelo que eu lhe fiz, e prontamente atendeu, ligando para o ministro (Eliseu) Padilha (ministro-chefe da Casa Civil), é que nós tenhamos celeridade para a parte que cabe à União, para as intervenções necessárias”.

 

Ecovias

ecovias