Mudanças nos ministérios garantem continuidade, diz Temer

Em seu discurso, o presidente da República reforçou que a mudança nos ministérios não altera o curso do seu governo

Dez novos ministros tomaram posse na terça-feira, dia 10, em Brasília. Na solenidade ocorrida no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer (MDB) agradeceu o empenho dos antigos integrantes do primeiro escalão e elogiou o comprometimento dos novos titulares com a política de governo

Segundo o presidente, manter a mesma linha na composição do primeiro escalão do governo vai garantir a continuidade da construção de um novo Brasil. “Essas mudanças alteram a composição, mas só contribuem para a qualidade da nossa equipe. Nós sempre afirmamos e reafirmamos que o nosso objetivo é construir um novo Brasil; especialmente não interromper aquilo que foi feito até agora”, reforçou.

Foram empossados os seguintes ministros: da Fazenda, Eduardo Guardia (assumiu o lugar de Henrique Meirelles); da Educação, Rossieli Soares da Silva (no lugar de Mendonça Filho); do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame (no lugar de Osmar Terra); Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Jorge (no lugar de Marcos Pereira); de Minas e Energia, Wellington Moreira Franco (no lugar de Fernando Coelho Filho); de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago (no lugar de Dyogo Oliveira); de Turismo, Vinicius Lummertz (no lugar de Marx Beltrão); da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus (no lugar de Hélder Barbalho); de Esporte, Leandro Cruz Fróes da Silva (no lugar de Leonardo Picciani); e do Trabalho, Helton Yomura, que deixou de ser interino para se tornar titular da Pasta.

Temer ressaltou a confiança depositada nos novos membros do primeiro escalão e desejou êxito para darem continuidade ao trabalho iniciado há quase dois anos. “Não nos falta convicção de que vocês desempenharão esses papeis com plena competência”, disse.

Ao todo, 14 ministros deixaram suas pastas na semana passada, quando findou o prazo para desincompatibilização. A maioria com a intenção de disputar as eleições de outubro.

BNDES – Na segunda-feira, dia 9, tomou posso também o novo presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, que deixou o Ministério de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Na solenidade, o ministro destacou os resultados obtidos com as reformas econômicas promovidas pelo Governo Temer. Oliveira disse que é preciso reinventar o BNDES, dando mais corpo e velocidade às mudanças feitas nas últimas gestões. “Vamos reinventar o BNDES, para que continue a ser o que sempre foi, o maior promotor do desenvolvimento do Brasil”, afirmou Dyogo Oliveira, prometendo que o Banco tratará quem bate à sua porta, não como beneficiário, e sim como cliente que “merece ser recebido e atendido com rapidez e eficiência”.

 

Ecovias

ecovias