Mourão comenta resultados da pesquisa Datafolha

Mourão acredita que a experiência na Prefeitura tenha mudado a visão de Doria enquanto governante público

Na pesquisa Datafolha divulgada na segunda-feira, dia 16, o pré-candidato tucano ao Governo do Estado, João Doria aparece em primeiro lugar nos dois cenários apresentados, com 29% e 36%, respectivamente. Conhecedor da realidade política estadual, o prefeito Alberto Mourão (PSDB) analisou o levantamento e se mostrou confiante de que os números tendem a aumentar nos próximos meses.

O Instituto Datafolha ouviu 1.954 entrevistados em 68 cidades do Estado entre 11 e 13 de abril. A pesquisa tem margem de erro de 2% para mais ou para menos. No cenário com todos os pré-candidatos, Doria totaliza 29%. Em segundo lugar está o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (MDB), com 20%. Em terceiro aparece o atual governador Márcio França (PSB), com 8%, que teve um aumento de 200% na preferência dos eleitores se comparado a pesquisa anterior. Na sequência vem Luiz Marinho (PT), com 7%; Rogério Chequer (Partido Novo), com 2%; Lisete Arelaro (PSOL) e Alexandre Zeitune (REDE), ambos com 1%. Brancos e nulos totalizam 26% e não souberam responder, 5%.

Para Mourão, este levantamento ainda não reflete a realidade da intenção de votos dos próximos meses, tendo em vista que registra a rejeição ao fato de Doria ter renunciado à Prefeitura de São Paulo. “Quando começar oficialmente a campanha e Doria apresentar suas propostas para o Estado e os eleitores perceberem a importância em ter, por exemplo, o prefeito em sintonia com o governador do Estado, em questões quanto aos investimentos em mobilidade urbana, saneamento básico, entre outras, acredito que esses números vão melhorar”, afirmou.

O prefeito de Praia Grande acredita que Doria tem hoje uma visão diferente da que tinha ao assumir a Prefeitura da Capital, pois teve a experiência de governar uma cidade, onde os problemas estão mais próximos e os limites para soluções são mais maiores. “Doria sentiu as agruras de ser prefeito, com as limitações que tem os prefeitos, com as dificuldades de efetivar as soluções para os problemas da sociedade”, opinou.

Na opinião de Mourão, a base para todo bom governo é a educação do cidadão, que pode resultar em melhoras em todos os âmbitos. “Quando eu falo em educação não é o aprendizado formal, é educar um cidadão para ele ser consciente do seu papel na sociedade. Por exemplo, se a pessoa tem consciência de que precisa se exercitar para não ficar doente, vai gerar menor procura nos postos de saúde ou pronto-socorros; se tem consciência ambiental, não vai jogar lixo nas ruas, vai ajudar no coletivo. Todos os governos precisam ter essa visão, para não ficar somente investindo na ponta do problema sempre”, argumentou.

PRESIDÊNCIA – Na pesquisa Datafolha para presidente da República, o candidato tucano Geraldo Alckmin obteve entre 6% e 8% da preferência dos pesquisados, ficando atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 30%; Jair Bolsonaro (PSL), com 15%; Marina Silva (REDE), com 10%; e Joaquim Barbosa (PSB), com 8%. Na opinião de Mourão, o candidato do seu par-tido precisa ser mais firme. “O Alckmin precisa se colocar com mais firmeza, não de forma autoritária ou com supremacia, mas com a experiência de quem governou São Paulo, porque São Paulo é o estado que pode ser indutor de ideias para o Brasil, São Paulo tem um propósito para o País e isso precisa ficar claro”, afirmou o prefeito, que completou. “Mas acredito que com o início da campanha isso vai mudar e os números serão mais favoráveis.”

Carmem Sanches

 

 

Ecovias

ecovias