"Os Incríveis 2" traz mais diversão para toda família

Com um orçamento de cerca de US$150 milhões, a animação Os Incríveis 2, já se tornou a oitava maior abertura nos cinemas americanos

Quando a Pixar lançou Os Incríveis, em 2004, não havia o Universo Cinematográfico da Marvel. Não havia a trilogia do Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan, Batman Begins, que foi lançado em 2005 e muito menos Mulher-Maravilha. Após 14 anos desde o primeiro longa, Os Incríveis 2 chega aos cinemas brasileiros e foi principal atração da última quinta-feira, dia 28.

Com um orçamento de cerca de US$150 milhões, a animação produzida pela Disney já se tornou a oitava maior abertura nos cinemas americanos. A história começa minutos depois do fim do longa original – sem atores de carne e osso que envelhecem com a passagem de 14 anos, Os Incríveis 2 podia se dar esse luxo. “Achei que era ousado e estranho”, explicou o diretor. “As pessoas levam a passagem do tempo literalmente. Nos ‘Simpsons’, ninguém envelhece. Se funcionou para eles, por que não funcionaria para a gente?”

No longa, a família Pêra encara, de maneira atrapalhada, o vilão Escavador. O resultado é um bocado de destruição, o que faz com que eles sejam proibidos novamente de atuar. Beto, Helena, Violeta, Flecha e Zezé, morando num simples hotel de beira de estrada após terem sua casa destruída, recebem uma proposta irrecusável de um magnata das comunicações que quer reviver os áureos tempos dos super-heróis, lançando uma campanha de relações públicas para recuperar sua imagem.

Só que o plano promove uma inversão de papéis: Helena, conhecida como Mulher-Elástica, é quem vai para a rua combater o crime, o que deixa Beto em casa cuidando da adolescente Violeta, às voltas com seu primeiro encontro, do hiperativo Flecha e do bebê Zezé, que, como o público sabe, tem superpoderes também.

“Tive a ideia de inverter os papéis de Helena e Beto quando estávamos promovendo o primeiro filme”, explicou Brad Bird. “A essência nunca mudou. A Mulher-Elástica era uma personagem forte, não fizemos essa história para tirar vantagem de algo no zeitgeist”, completou, referindo-se aos movimentos como Time’s Up, que pedem igualdade entre os gêneros.

Bird afirmou que acha que é importante ter mais personagens femininas e mais diretoras mulheres. “Mas, se as pessoas começarem a me dizer que tenho de fazer isso, o artista em mim vai resistir e vou acabar fazendo um filme sobre homens comendo bife o tempo todo e queimando carvão.”

Com a classificação livre, o filme tem seções confirmadas a partir das 13h30 no Cinesystem dentro do Litoral Plaza Shopping em Praia Grande. As exibições do filme em 3D dublado estarão disponíveis em quatro horários, todos os dias, na sala 1: 13h30; 16h10; 18h50 e 21h30. Já para o filme 2D, na sala 3, dublado, estão disponíveis três horários: 15h00; 17h40 e 20h20.

Quem quiser garantir os ingressos antecipados para as primeiras semanas de exibição é só entrar no site www.cinesystem.com.br. Os preços variam de R$ 13,00 a R$ 33,00. O Litoral Plaza Shopping fica na avenida Ayrton Senna da Silva, n° 1511, bairro Sítio do Campo.

 

Ecovias

ecovias