Primavera terá temperaturas altas e chuvas inconstantes

Segundo o Instituto Climatempo, neste ano fará ainda mais calor do que em 2017

A primavera começa neste sábado, dia 22, exatamente às 22h53, e termina no dia 21 de dezembro às 20h22. Nesta estação, a atmosfera gradu-almente sai do padrão seco, característico do inverno, e ganha o padrão úmido e quente típico do verão. Mas esta transformação não ocorre de uma semana para a outra. Por ser uma estação de transição entre o inverno e o verão, é natural que o aquecimento seja gradativo. De acordo o Instituto Climatempo, neste ano fará ainda mais calor do que em 2017 e também deverá ser um período de chuva acima da média.

O climatologista da ONG Amigos da Água, Rodolfo Bonafim, explica que a prima-vera está com as temperaturas mínimas e máximas mais altas. “Com todo o calor a proba-bilidade de chuva mais forte é frequente. Então temos que nos prevenir quanto a isso. Especialmente as áreas mais vulneráveis da Baixada Santista, como a Zona Noroeste de Santos, que tem uma péssima drenagem”.

O climatologista afirma que haverá bastante chuva na região. Em outubro, o volume de chuva deve passar os 137mm, volume médio registrado no mês. O mesmo se repete em novembro e dezembro, que deve registrar mais de 180mm de chuva.

A partir de outubro, os ter-mômetros devem subir ainda mais. Dados da Defesa Civil de São Paulo apontam que neste mês, em 2017, a máxima ficou entre 24 °C e 26 °C. Para este ano, a previsão é que os números sejam superados. Para novembro, a expectativa é de que a média de temperatura para 2018 permaneça igual a do ano passado, com temperatura entre 20°C e 26°C.

Mais próximo do verão e do fim da primavera, em 21 de dezembro, o mês promete ser o mais quente, com os termômetros ultrapassando os 28°C. Bonafim explica que mesmo assim, não quer dizer que não haverá frentes frias. “Acaba sendo normal ter alguns dias de frio na primavera. Porém, a tendência é bem menor. Para ter uma ideia tivemos apenas nove dias de sol pleno em agosto, foi o mês que teve mais chuvas em 26 anos. E mesmo assim, neste mês a tendência é ter picos de calor, dias mais frios e bastante chuvas. É um mês de transição”.

EL NIÑO – Os principais centros internacionais de meteorologia indicam probabilidade superior a 60% de que seja registrado um novo episódio do fenômeno no final da primavera e início do verão de 2019.

Se o fenômeno for confir-mado, provavelmente, será de curta duração e de intensidade baixa ou moderada. El Niño provoca o aquecimento anormal das águas superficiais no Oceano Pacífico Tropical, afetando a distribuição das chuvas, que também são influenciadas pela temperatura na superfície do Oceano Atlântico Tropical e na área oceânica. “O El Niño pode se manifestar em qualquer época do ano e estação. Não tem regra certa. Ele começa na primavera e no verão, porque as águas se aquecem mais”, diz Bonafim.

Danielle Martins

 

Ecovias

ecovias