Aluna de Praia Grande realiza trabalho sobre mercado informal feminino

Trabalho conta história de mulheres por meio de fotografias tiradas pelo celularLATERAL TCC Aluna COC

A mulher tem alcançado cada vez mais espaço no mercado de trabalho. Um exemplo disso é que hoje 7,9 milhões de brasileiras estão à frente de uma empresa e segundo o Sebrae houve um aumento de 34% desse público em 14 anos.

Com a intenção de mostrar esse avanço por meio da fotografia, contando a história de mulheres que atuam informalmente, é que a aluna do segundo ano do ensino médio Julia Mota Pera, de 16 anos, realiza o trabalho de iniciação científica sobre o tema.

A estudante do Colégio COC Novo Mundo apresentará seu olhar fotográfico, com imagens que foram registradas somente pelo celular. A ideia é contar a vida de três mulheres. Uma das personagens trabalha como servente em uma Escola Municipal da Cidade e para completar a renda, faz serviços de diarista. Com o salário extra pagou a faculdade de pedagogia e passou no concurso de Itanhaém para professora. Outra narrativa visual é de uma aposentada, que atualmente costura para também complementar o faturamento.

Para a estudante, a atividade resultou em aprendizado. “Achei interessante usar o celular para mostrar que é possível utilizar o aparelho para desenvolver algo dessa proporção. Aprendi que na vida muitas vezes não se tem a oportunidade de ter um estudo ou estar em uma boa escola, mas se a pessoa tiver ambição e usar a criatividade é possível conseguir, ter um emprego e um futuro”, comenta.

O trabalho de Júlia é realizado sob orientação do diretor da instituição Márcio Motta. A atividade será feita por todos os alunos do ensino médio do colégio, com diversos temas escolhidos por eles. É obrigatório no primeiro e no segundo ano e opcional no terceiro, por conta dos estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e vestibulares.

Com isso, o tema Mercado informal feminino foi continuação do tema escolhido por Júlia no primeiro ano sobre Trabalhadores informais.      

Ele é composto e avaliado em três partes: o produto (que são as fotografias), o relatório com o passo a passo de tudo que foi feito e a apresentação (escolhida pelo aluno, como uma exposição, vídeo, por exemplo). No caso de Julia, a divulgação do trabalho será em um veículo de comunicação e ela escolheu o Jornal Gazeta do Litoral para expor.  

Toda a base segue as normas da ABNT para um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). A jovem acredita que os trabalhos servirão de preparação para a universidade. “O objetivo é entrarmos sabendo como fazer. É bem interessante”, conta.

As apresentações acontecem de 5 a 9 de novembro e somente após as exposições é que serão feitas as análises e a divulgação das notas. No ano passado, Julia tirou 10 e apresentou suas fotos numa exposição no Palácio das Artes (PdA).

A jovem escolheu fazer sozinha, pois concilia a escola com o balé, que faz há dez anos. “Se fizesse com mais pessoas ficaria difícil marcar horários. Não é complicado, é cansativo, mas prazeroso no final. A escola é bem exigente. Além da iniciação, tem simulado, prova, trabalho todo bimestre e a média é 7.”

Sobre o futuro ainda não sabe ao certo qual curso fará mas tem preferência pela área de humanas “Já pensei em Direito, Relações Internacionais, Comércio Exterior. Ainda estou vendo”, finaliza.


 

 

Ecovias

ecovias