Prefeitura de PG busca parcerias para acabar com alagamentos

Reunião realizada na terça-feira, dia 16, debateu ações em parceria com a Sabesp e DAEE

Com objetivo de dar continuidade aos trabalhos realizados na construção, reparo e urbanização dos canais de Praia Grande, além de buscar soluções aos alagamentos na Cidade, a Prefeitura firmou parceria com a Sabesp junto do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado (DAEE).  

Para discutir os assuntos e acertar possíveis ações conjuntas, uma reunião foi realizada no Paço Municipal, na terça-feira, dia 16, momento em que o prefeito Alberto Mourão solicitou aos representantes dos órgãos a execução de serviços em canais dos bairros Vila Sônia, Princesa e Sítio do Campo. “Temos ansiedade de resolver os problemas e beneficiar a população. Esta parceria é para o enfrentamento de questões relacionadas à macrodrenagem, são áreas que o DAEE conseguirá acelerar os processos. A proposta da Cidade é que a Sabesp repasse os recursos das obras, que seriam executadas pelo próprio DAEE”, afirmou.

Entre os trabalhos pedidos pela Administração Municipal há o entroncamento dos canais DER com o do Vila Sônia. Mourão informou que é necessário adentrar em área de mangue para efetuar o desassoreamento dos equipamentos, aumentando, desta forma, a fluidez do volume de água.

Outros trabalhos debatidos foram o desassoreamento, alargamento e retificação de dois canais que ficam no fundo do Princesa melhorando o fluxo da água que encontra o rio, além da construção de um outro canal paralelo. As ações devem levar a solução de problemas de alagamentos no local. Para esta região ainda está previsto no planejamento da Sabesp a efetuação da rede de esgoto.

Já no Sítio do Campo a proposta é refazer duas comportas e seguir com as obras no canal dos Japoneses. O chefe do Executivo acredita que com as ações o impacto pela influência das marés será minimizado. “O DAEE pode colaborar para que consigamos as licenças ambientais, além da tecnologia nos serviços. Logo essas obras serão executadas, tendo os problemas de alagamentos e as influências das marés nessas três regiões resolvidos”, comentou Mourão.

Para o superintendente da Sabesp na Baixada Santista, Sérgio Bekerman, a próxima etapa dos trabalhos será um levantamento do DAEE dos custos dessas intervenções propostas pela Prefeitura. “Após a análise deste levantamento e outras etapas legais, as obras começarão, o que deve acontecer nos próximos meses.”

Segundo o gerente da Engenharia do DAEE, Sílvio Luiz Giudice, o setor definirá também os métodos executivos com relação ao licenciamento desses serviços. “No início de maio os trabalhos de vistoria e análise das ações em campo já terão início.”    

A reunião teve ainda a presença de representantes das secretarias municipais de Obras Públicas (Seop), Serviços Urbanos (Sesurb) e de Meio Ambiente (Sema).

22/04/2019

Divulgação/PMPG

 

Ecovias

ecovias