Nova diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil da 132ª Subseção toma posse até 2021

Posse da nova diretoria aconteceu na Câmara Municipal com presença de autoridades municipais e integrantes da OAB de São Paulo

A nova diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Praia Grande tomou posse na noite de terça-feira, dia 28, na Câmara Municipal. A 132ª Subseção informou que a nova diretoria ficará no cargo até 2021.

O novo presidente é o advogado Gonçalo Batista Menezes. O advogado Franco Paes Pinto Antunes está como vice-presidente e o advogado Rangel Bori como secretário geral. A advogada Flávia Mota é secretária-geral-adjunta e o advogado Mauri Rocha André assume o cargo de tesoureiro.

Compareceram ao evento o presidente da OAB-SP, Caio Augusto Silva dos Santos; o secretário geral da OAB-SP, Aislan de Queiroga Trigo, o prefeito Alberto Mourão, e vereadores.

Em seu discurso, Gonçalo disse que com a experiência do novo mandato, acaba obtendo mais maturidade para enxergar os erros. “Procurarei fortalecer aquilo que é o mais importante, a vida do advogado, que é garantir as suas perspectivas profissionais, para que ele possa defender os direitos dos cidadãos. Então, o advogado precisa estar protegido pela sua entidade, para que no exercício da sua profissão ele não seja coíbido por abuso de autoridade”, argumentou.

Mourão enfatizou a importância da parceria entre o poder público e entidades como a OAB. “A entidade tem um reconhecimento nacional e como disse no meu discurso, quando o constituinte colocou a ordem como um direito de ter um advogado, o seu constituído, as coisas se tornaram melhores. A maior autoridade é o cidadão. A gente acaba fazendo um discurso, mas na execução isso não acontece. Quando eu disse que a OAB tem que reagir no processo da defesa dos interesses da Democracia, é porque se não tiver Democracia, porque não vai ter como recorrer do seu direito contituído ao Judiciário”, lembrou.

O prefeito ainda ressaltou que o Judiciário se dobrou pela pressão do Executivo e do governo ditatorial. “A OAB tem que evitar que cheguemos nesse caos, quando você naõ tiver onde recorrer, não é o Estado que vai passar por cima dos seus indireitos, é o outro que está querendo infringir os seus direitos de forma individual. Eu vejo que a grande parceria da OAB, ela além de representar o seu constituído perante todas as constituições, pode ajudar a ser o guardião dos direitos indivi-duais, através da preservação do Estado de Direito no País”, explanou. (D.M)

 

Ecovias

ecovias