Sífilis avança 28,5% em dois anos, afirma Ministério da Saúde

Em comparação a 2016, houve aumento de 16,4% na incidência de sífilis congênita e 31,8% na incidência de sífilis adquirida

No sábado, dia 16, é Dia Nacional de Combate à Sífilis em todo o Brasil. A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios. Dados do Boletim Epidemiológico de Sífilis – 2018, do Ministério da Saúde, apontam aumento no número de casos de sífilis no País em todos os cenários da infecção. Em comparação ao ano de 2016, observou-se aumento de 28,5% na taxa de detecção em gestantes, 16,4% na incidência de sífilis congênita e 31,8% na incidência de sífilis adquirida.

Segundo o Boletim, a taxa de detecção da sífilis adquirida no Brasil passou de 44,1/100 mil habitantes em 2016, para 58,1 casos para cada 100 mil habitantes em 2017. A sífilis adquirida, agravo de notificação compulsória desde 2010, teve sua taxa de detecção aumentada de dois casos por 100 mil habitantes em 2010, para 58,1 casos por 100 mil habitantes em 2017.

A Baixada Santista registrou só neste ano, até o momento, 1.356 casos de sífilis. E em 2018, 1.654 ocorrências. Praia Grande teve 21 casos, quatro abortos e um natimortos neste ano. Em 2018, foram 57 casos, quatro abortos e cinco natimortos. Até setembro de 2019, São Vicente foi a que concentrou o maior número de casos, totalizando 495, entre gestantes e congênitos.

Em Santos, até setembro deste ano, foram 192 casos de sífilis adquirida, 64 de sífilis em gestantes e 23 casos de sífilis congênita. Já no passado, foram registrados 983 casos de sífilis adquirida, 142 casos em gestantes e 61 casos de congênita Guarujá, por sua vez, registrou 225 ocorrências. No ano de 2018, foram 486 casos, com 315 não especificados. Já Cubatão atingiu 185 casos em 2019, sendo 42 deles por sífilis em gestantes. Itanhaém teve 89 casos. Bertioga vem em quinto lugar, com 72 casos neste ano contra 98 registrados no ano passado. Peruíbe tem 42 casos apontados até o momento. Por fim, vem Mongaguá com 35 ocorrências registradas este ano e 30 em 2018.

AÇÕES NA REGIÃO – Algumas cidades da Baixada Santista realizarão ações sábado, dia 19, por conta do Dia de Combate à Sífilis. A Prefeitura do Guarujá informou que durante o ano inteiro todas as unidades de atenção básica realizam teste rápido de sífilis, além de orientar pacientes na sala da espera. Além disso, neste mês de campanha do Outubro Rosa, as unidades de saúde também estão reforçando a prevenção e orientação junto à população.

Cubatão fará ação no dia 29 de outubro, através do programa IST/AIDS/HIV, uma oficina de atualização em sífilis, com foco nas gestantes e congênita. Esse evento será direcionado aos profissionais da rede de saúde. Além disso, há como ação contínua o atendimento de livre demanda aos que queiram fazer testagem para Sífilis/HIV/Hepatites B e C, no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), na Vila Nova.

Ao longo do ano, Itanhaém realiza diversas ações, com testagem rápida, acompanhamento de pré-natal, e etc. Em outubro, o CINI oferece testagens rápidas em parceria com as unidades que realizam campanha de Outubro Rosa. Neste ano, no dia 26, haverá a ação no Centro Especializado na Saúde da Criança e da Mulher (CESCRIM), onde será divulgado sobre Outubro Verde (mês do combate à sífilis congênita).

Já Peruíbe, no dia 21, realiza a ação Fique Sabendo, nos Jardim das Flores, onde serão realizados testes de HIV e Sífilis. A Secretaria de Saúde de Bertioga está organizando uma semana alusiva. A ação acontecerá em novembro de 2019, realizando testagens. Praia Grande não informou suas ações.

21/10/2019
Foto: Divulgação

 

 

Ecovias

ecovias