Artigo


O professor e a educação


Passadas as comemorações do Dia do professor, que tal fazermos uma reflexão sobre a importância deste profissional? A data tornou-se um marco devido o dia 15 de outubro de 1827, quando D. Pedro I baixou um decreto imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil, que abordava várias questões referentes ao educador e à educação brasileira.

 

Ao longo dos anos, o perfil dos profissionais do ensino mudou, no entanto, suas habilidades e disposição de ensinar seguem fazendo a diferença na vida das crianças. O professor deve ser reconhecido como o instrumento que proporciona a circulação do conhecimento. Sua atuação é crucial para o aprendizado de qualquer criança. A capacidade e o dom de ensinar são capazes de fazer a diferença na vida de cada pessoa.

 

Não existem dúvidas de que ser um professor não é tarefa fácil. Num país como o Brasil, a carga parece ainda mais pesada. A eles, cabe a missão de ensinar, orientar, incentivar e educar. Além de tudo, o profissional assume função de psicólogo, vigilante, enfermeiro, advogado, palhaço, entre outras.

 

Os que escolhem a profissão e gostam do que fazem, trabalham com mais dedicação e amor, apesar das tribulações do cotidiano da escola, como a falta de reconhecimento dos pais e ainda mais por parte do governo. Outros, infelizes na profissão, estão no cargo por circunstâncias diversas e muitas vezes, querem desistir de suas funções.

 

Enquanto isso, especialistas afirmam que o maior desafio do Brasil é garantir educação de qualidade para todos. Mesmo não havendo fórmula para construir essa qualidade, vamos combinar que neste caso, o professor deve funcionar como peça-chave do processo.

 

A melhoria da educação só será possível com a aprendizagem da criança e aí está o valor de um bom educador. O problema é que a média salarial do professor da educação básica é bem menor do que deveria, e sem a remuneração adequada e a valorização necessária, será difícil mudar a realidade da sala de aula. É necessário investir na formação e na valorização dos profissionais.

 

Lógico que nem toda a responsabilidade deve ser do profissional, no entanto, este é um dos principais fatores para a qualidade da educação.

 

Ao Governo: entenda que a qualidade da educação é o instrumento mais poderoso para transformar as pessoas.

Aos professores: Que o amor pela arte do ensino seja maior do que a insatisfação de não ter o trabalho reconhecido.

 

 

 

Maria Souza é repórter do Gazeta do Litoral

Praia Grande, dias 20 a 24 de outubro 2012

Jornal Gazeta do Litoral

 

 

 

 

 

 

Ecovias

ecovias