Peneirando

 

Preparando o terreno

 

Em Praia Grande, a movimentação para a transição de governo já foi iniciada. O prefeito Roberto Francisco assinou decreto que instituiu a Comissão de Transição Administrativa do Município, composta por oito pessoas. A maioria dos membros é servidor do quadro permanente da Prefeitura, segundo o prefeito. O objetivo é preparar balanços financeiros, relatórios das secretarias, folha de pagamento, projetos e afins, visando facilitar as informações ao futuro gestor.

 

Primeiro anunciado

 

O prefeito eleito Alberto Mourão (PSDB) já anunciou o primeiro nome que integrará sua equipe de governo a partir de 2013 em Praia Grande: o ex-deputado estadual Cássio Navarro. O genro de Mourão, que atuou como coordenador da campanha eleitoral do tucano neste ano, será chefe de gabinete. Na atual gestão, a função foi desempenhada, em boa parte do mandato, por Sidney da Silva Pires, o Boa Praça. Apesar de não revelar nomes que integrarão as secretarias a partir do ano que vem, Mourão adianta que fará mudanças desmembrando algumas pastas.

 

Retomando o cargo

 

Na próxima terça-feira, dia 23, os prefeitos da região se reunirão em Mongaguá para a habitual reunião do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb). Na ocasião, o prefeito de Mongaguá, Paulo Wiazowski Filho (DEM) retornará ao cargo de presidente do órgão, uma vez que estava afastado devido às eleições municipais. Durante a reunião, será realizada uma exposição pela Câmara Temática Especial de Agropecuária, Pesca e Aquicultura referente ao Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II, além de homologações de projetos aprovados pelo Conselho de Orientação do Fundo Metropolitano.

 

Calote

 

O Ministério Público Estadual de São Paulo acusa a Ecovias de dar “calote” no pagamento das compensações ambientais previstas na construção da segunda pista da rodovia dos Imigrantes, aberta em 2002. Promotores do Grupo de Atuação Especial de Proteção ao Meio Ambiente (Gaema) da Baixada Santista entraram na Justiça para obrigar a concessionária a pagar R$ 27 milhões, que já deveriam ter ido para os cofres públicos. A Ecovias alega já ter pago R$ 10,5 milhões de contrapartida ambiental e afirma que “no momento oportuno apresentará sua defesa para o esclarecimento de todas as questões”.

 

Quanto?

 

O valor pago pelos brasileiros neste ano em impostos federais, estaduais e municipais atingiu na sexta-feira, dia 19, por volta das 3h da madrugada, a marca de R$ 1,2 trilhão, segundo o “Impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Em 2011, o painel registrou o mesmo valor apenas em 30 de outubro. Ou seja, neste ano a marca foi atingida com uma antecedência de 11 dias. Ao longo de 2011, os brasileiros pagaram um total de R$ 1,51 trilhão, segundo o “Impostômetro”. De acordo com a ACSP, o contador deverá ultrapassar a marca de R$ 1,6 trilhão até o último dia do ano.

 

Protocolado!

 

A deputada estadual Telma de Souza (PT) protocolou requerimento na Assembleia Legislativa de São Paulo pedindo providências imediatas ao governo do Estado para conter a onda de violência que assola a Baixada Santista. Desde o último dia 3, pelo menos 20 pessoas foram assassinadas a tiros em Santos, Guarujá, Cubatão e São Vicente. Até quando o governador Geraldo Alckmin vai fechar os olhos para a necessidade do aumento do efetivo policial na região?

 

 

Virginia Medeiros e colaboradores

Praia Grande, dias 20 a 24 de outubro 2012

Jornal Gazeta do Litoral

 

 

 

 

 

 

Ecovias

ecovias