Esportes
Sul-americanos brigam por pontos no WSL Qualifying Series 2019

Os peruanos estão encabeçando a lista dos sul-americanos no ranking das cinco etapas já disputadas no WSL Qualifying Series com Miguel em vigésimo lugar e Alonso Correa em 32º e Luan Carvalho 39º

Os surfistas peruanos seguem ganhando espaço no Circuito Mundial, começando bem a temporada 2019 do World Surf League Qualifying Series. Nesta terça-feira, Miguel Tudela foi até as semifinais do Volcom Pipe Pro QS 3000 e inicia o ano em vigésimo lugar no ranking. Antes, o mais bem colocado era Alonso Correa com o nono lugar no QS 3000 que abriu a corrida por vagas no CT 2020 em Israel, mas caiu para a 32.a posição por ter ido competir no Havaí. Nos tubos de Pipeline e do Backdoor, o vencedor foi o australiano Jack Robinson, que assumiu a liderança do ranking porque já tinha sido vice-campeão no QS 1000 de Sunset Beach, também na ilha de Oahu.33e6a1ea2a3b42ea897803fb9c91edee

Em sua estreia na temporada, a única bateria que Jack Robinson perdeu no Havaí foi na decisão do Sunset Open para o havaiano Cody Young. Os dois se encontraram duas vezes nas ondas de 6-8 pés da terça-feira em Pipeline e as duas baterias foram vencidas pelo australiano. Nas oitav

as de final, Cody Young ainda passou em segundo lugar, mas nas semifinais foi eliminado por outro havaiano, Barron Mamiya, vice-campeão do Volcom Pipe Pro. Outro australiano ficou em terceiro lugar na grande final, Reef Heazlewood, com o norte-americano Balaram Stack em quarto.
“Eu estou no topo do mundo e começar o ano com uma vitória aqui em Pipeline me deixa muito mais confiante para o restante da temporada”, disse Jack Robinson. “É o campeonato mais difícil do ano e aqui você tem que ficar ligado para ganhar, mas as ondas têm que vir para você, senão não adianta nada estar bem preparado. Eu me sinto bem confiante e só quero chegar logo ao World Tour. É onde eu já deveria estar e sei que vai ser muito difícil chegar lá, mas sinto que é hora de conseguir isso esse ano”.
Jack Robinson tem apenas 21 anos de idade, mas já vem sendo apontado como a maior revelação do surfe australiano nos últimos anos. Em 2018, ele ganhou o QS 1500 Heroes de Mayo Iquique Pro no Chile e terminou em 39.o lugar no ranking que classifica dez surfistas para a elite dos top-34 que disputa o título mundial da World Surf League no Championship Tour. Agora, já inicia a temporada na dianteira da corrida pelas vagas para 2020.

PERUANOS NA FRENTE – Os surfistas peruanos também começaram bem o ano, melhor até do que os brasileiros que sempre encabeçaram a lista dos sul-americanos no ranking do QS. Na etapa que abriu a temporada 2019 em Israel, o mais bem colocado foi Alonso Correa em nono lugar. O brasileiro Luan Carvalho perdeu na mesma fase, mas terminou em 13.o por ter ficado em último na sua bateria. No QS 1000 Sunset Open no Havaí, Wiggolly Dantas e o peruano Adrian Garcia foram até as quartas de final e ficaram empatados em nono lugar.
No QS 3000 Volcom Pipe Pro encerrado nesta terça-feira, Wiggolly não passou da sua estreia em Pipeline e os únicos sul-americanos que chegaram no último dia foram os peruanos Miguel Tudela e Cristobal de Col. Os dois passaram juntos para as oitavas de final, barrando o costa-ricense Carlos Munoz e o havaiano Liam O´Brien.
Cristobal não achou as ondas em sua primeira bateria na terça-feira, mas Miguel avançou, depois ganhou a que abriu as quartas de final e só perdeu nas semifinais, para o australiano Reef Heazlewood e o americano Balaram Stack. Outro destaque foi o argentino Tomas Lopez Moreno, que venceu duas baterias antes de ser barrado na quarta fase da competição.

PRÓXIMAS ETAPAS – A disputa por pontos no ranking do WSL Qualifying Series prossegue nesta semana no QS 1500 Cabreiroa Las Americas Pro Tenerife nas Ilhas Canárias e neste mês também acontece o primeiro grande evento da temporada, o Hang Loose Pro Contest, que volta à Fernando de Noronha após seis anos, promovendo o primeiro QS 6000 de 2019 entre os dias 19 e 24 nos tubos da Cacimba do Padre. O evento mais tradicional da América Latina vai abrir o calendário da WSL South America, valendo os primeiros pontos para o ranking regional que define os campeões sul-americanos da temporada.
Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 3000 Volcom Pipe Pro podem ser acessadas na página do evento no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.
A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.
Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2019 – após 5 etapas:
01: Jack Robinson (AUS) – 3.750 pontos
02: Eithan Osborne (EUA) – 3.360
03: Barron Mamiya (HAV) – 2.450
04: Cody Young (EUA) – 2.260
05: Tristan Guilbaud (FRA) – 2.250
06: Cole Houshmand (EUA) – 1.890
07: Jorgann Couzinet (FRA) – 1.680
07: Reef Heazlewood (AUS) – 1.680
09: Reo Inaba (JPN) – 1.620
10: Balaram Stack (EUA) – 1.580
------sul-americanos até 100:
20: Miguel Tudela (PER) – 1.180 pontos
32: Alonso Correa (PER) – 900
39: Luan Carvalho (BRA) – 840
57: Cristobal de Col (PER) – 675
78: Kim Matheus (BRA) – 555
86: Joaquin del Castillo (PER) – 545
87: Jeronimo Vargas (PER) – 515
88: Wiggolly Dantas (BRA) – 510
88: Adrian Garcia (PER) – 510
104: Franklin Serpa (BRA) – 420




 

 

 

 

Ecovias

ecovias